Paulimaq

by Monick 21. abril 2010 06:29

Perguntas Freqüentes

Paulimaq

“O arquivo origem já existe, deseja apagá-lo antes da importação?”

P.: Na hora de importar os dados do sistema ComerSYS, para o sistema da Paulimaq, apresenta na tela de “importação de dados”, “O arquivo origem já existe, deseja apagá-lo antes da importação?”, como devo proceder?

R.: Se aparecer a mensagem abaixo, significa que o nome do arquivo de destino já existe, confirme se foi alterado o número do registro do produto para o qual você está querendo imprimir as TAGs, caso esteja correto, clique em sim para continuar, caso contrario clique em não para confirmar se está tudo certo e arrumar o que precisar, e clique em importar novamente.

 

 

 

 

Tags:

Perguntas Frequentes

Juiz de Fora - Exposhop (2010)

by Monick 19. abril 2010 06:21

        

        

      

 

 

    

        

 

Tags:

“O arquivo origem já existe, deseja apagá-lo antes da importação?”

by Fabio 19. abril 2010 04:56

Perguntas Freqüentes

Paulimaq

“O arquivo origem já existe, deseja apagá-lo antes da importação?”

P.: Na hora de importar os dados do sistema ComerSYS, para o sistema da Paulimaq, apresenta na tela de “importação de dados”, “O arquivo origem já existe, deseja apagá-lo antes da importação?”, como devo proceder?

R.: Se aparecer a mensagem abaixo, significa que o nome do arquivo de destino já existe, confirme se foi alterado o número do registro do produto para o qual você está querendo imprimir as TAGs, caso esteja correto, clique em sim para continuar, caso contrario clique em não para confirmar se está tudo certo e arrumar o que precisar, e clique em importar novamente.

 

 

 

Tags:

Importação de Etiqueta não Realizada

by Fabio 19. abril 2010 04:49

ComerSYS

“Importação não Realizada”

P.: Na hora de exportar os dados do sistema ComerSYS, para gerar o código de barras das etiquetas tag, apresenta na tela de “importação”, “Importação não Realizada”, como devo proceder?

R.: Se aparecer uma tela “Importação” como o exemplo a baixo:

 

 

entre em:

                - Meu computador;

                - Disco Local (C:);

                - Crie uma pasta com o nome “Etiquetas” (clique com o botão direito do mouse, em um local em branco, selecione “novo”, “pasta”, criará uma pasta chamada “Nova Pasta”. Após ela ter sido criada, clique com o botão “F2” do teclado em cima dela e renomeie para “Etiquetas”. Repita o processo da exportação.

 

 

 

Tags:

Perguntas Frequentes

Virtual Machine

by Fabio 6. abril 2010 00:04


O software Virtual PC cria máquinas virtuais nas quais pode-se instalar qualquer OS (Operating system = sistema operacional). Isto pode ser útil em diversos casos, por exemplo, testar um sistema operacional sem sprecisar reparticionar o disco rígido e, assim, criar uma dupla reinicialização. O inconveniente deste software logiciel é, que ele executa o novo sistema operacional ao mesmo tempo que o antigo, fazendo com que o desempenho do PC seja dividido em dois. Consequentemente, impossível de obter o máximo de desempenho do PC para o novo sistema operacional.


Criar uma máquina virtual


  • Clique em "Próximo":


  • Você terá 3 opções:
    • "Criar um computador virtual": Dê uma olhada nas principais definições para criar uma máquina virtual.
    • "Utilizar as configurações padrão para criar um computador virtual": Pular todas as etapas quanto à configuração dos parâmetros e criar seu computador virtual. Você sempre poderá alterar esses parâmetros no computador virtual. Voltaremos a este tópico, mais além, nesta mesma dica.
    • "Acrescentar um computador virtual que já existe": Procure e adicione um PC virtual que você já criou anteriormente, o que supõe que você já tenha utilizado este software.
  • Nós, aqui, vamos nos interessar à primeira opção. Deixe a casa assinalada e clique em " Próximo ":


  • Aqui, você pode indicar o nome e o caminho para salvar os parâmetros do seu PC virtual. A escolha do nome é arbitrária. Se você não indicar o caminho, o arquivo será salvo, automaticamente, no "Meus documentos\Meus computadores virtuais". Clique em " Próximo ":


  • A escolha do sistema operacional a ser instalado no seu PC virtual, possibilita a definição dos parâmetros recomendados para a criação deste PC. A escolha destes parâmetros não é fixa e você poderá modificá-los quando quiser. No entanto, se o sistema operacional não se encontra na lista, escolha "Outro". Clique em " Próximo ":


  • Se a quantidade de memória (RAM) recomendada, parece insuficiente ou "excessiva", marque a casa "Regular a memória viva", e arraste o indicador até obter a quantidade desejada (ou digite o valor desejado diretamente no campo do valor).


  • Clique em "Próximo":


  • Seus dados no novo PC virtual serão salvos, obviamente, no disco rígido deste mesmo PC virtual. Este disco rígido é chamado « disco rígido virtual » e ficará guardado num arquivo com a extensão (vhd). Para criar um disco rígido virtual, marcar "Novo disco rígido virtual ", e clicar em " Próximo ":


  • Indique o nome e o caminho do arquivo vhd, no qual o seu disco rígido virtual será salvo e, indique também o seu tamanho (de acordo com suas necessidades, sem ultrapassar o tamanho máximo assinalado). Depois, clique em " Próximo " et "Terminar".
  • No console do Virtual PC, você notará a presença e o estado do seu novo computador virtual.



Remover uma máquina virtual

  • No console, selecione a máquina a ser removida e clique em « Excluir » e aceite a confirmação.
  • O PC virtual continua presente em seu PC, para adicioná-lo clique em: Novo > Próximo> assinale "Adicionar um computador virtual existente" e indique seu nome e o atalho.
  • Para eliminar completamente sua máquina virtual, vá em "Mes documentos\Meus computadores virtuais" e remova o arquivo associado ao seu PC virtual e o disco rígido, se quiser.


Iniciar e utilizar uma máquina virtual

  • No console, selecione a máquina virtual a ser iniciada e clique em "Iniciar". Seu novo PC vai começar a se carregar e você verá:




Isso é absolutamente normal já que nenhum sistema operacional foi instalado no novo PC virtual. É como se você estivesse diante de um PC "novinho em folha".

  • Feche a janela e escolha "apagar".


Para instalar um sistema operacional no novo PC, faça exatamente a mesma coisa que num PC novo.

  • Programar o arranque a partir de um CD, ir no BIOS. Para fazê-lo:
    • Insira o CD de instalação do seu sistema operacional.
    • Selecione o PC virtuel em questão no console Virtual PC.
    • Clique em "Iniciar" e pressione a tecla "DEL". Aparecerá:




*

    • Utilize as flechas esquerda/direita para navegar nas páginas. Vá até a página "Reinicialização" e aperte o "Entrar" para ir no menu de configuração da sequencia de arranque.
    • Certifique-se de que o CD-ROM é utilizado para iniciar o PC.




*

    • Aperte em "Escap" e vá na página "Exit" e escolha "Exit Saving Changes" e "Ok", a máquina vai ser reinicializada.
  • Ao mesmo tempo, no menu CD na janela do seu PC virtual, clique em "Utilizar a unidade física X:" (X para indicar o seu leitor CD do seu PC real)
  • Pronto, a instalação do seu novo sistema operacional vai começar.




Editar as configurações de um PC virtual


No console, selecione o PC virtual desejado e clique em "Configurações".

  • Nome do arquivo: para dar um outro nome ao computador virtual.
  • Memória: para alterar a quantidade de memória atribuída a este computador virtual.
  • Disco rígido: adicionar disco rígidos em seu computador virtual. Você pode adicionar até 3 discos rígidos . Especifique o nome do arquivo ou crie um outro.
  • COM1, COM2 e LPT1: são portas seriais e paralelas a serem utilizadas em seu PC virtual. Elas podem ser compartilhadas com o PC real.
  • Rede: você pode compartilhar as placas de rede entre os dois computadores. Escolha o número de placas a serem instaladas no PC virtual e a que corresponde cada placa , realmente.
  • Som : ativar/desativar a placa som no PC virtual.


Outras opções

  • Menu Ação > Modo de tela cheia: utilizar o PC virtual em tela cheia. Para saír do modo de tela cheia, mantenha apertada a tecla ALT da direita e pressione Entrar (Se aparecem dois mouses na tela, solte a tecla ALT da direita e aperte de novo em ALT de direita + Entrar).
  • Menu Ação > Pausa: suspender a emulação do PC virtual, para retomá-la Menu Ação > retomar.
  • Menu Ação > Redinicializar: Forçar o arranque do PC virtual.
  • Menu Ação > Fechar: Aparece o seguinte menu:




*

    • Desligar: para desligar o PC virtual.
    • Salvar o estado: para retomar o PC virtual no mesmo estado, na próxima reinicialização.
  • Menu CD > Utilizar a unidade física X: dividir o leitor CD/DVD entre os dois PC (virtual e real).
  • Menu CD > Capturar a imagem ISO: inserir uma imagem ISO no leitor do PC virtual.

 

Tags:

Novidades Tecnológicas | Windows e Utilitários

Atualização do Windows 7 pretende bloquear cópias piratas

by Fabio 5. abril 2010 23:57

Microsoft liberará atualização opcional do Windows 7 que pretende detectar cópias ilegais do sistema operacional.

 

windows_7_seguranca_150.jpg     A Microsoft informou na quinta-feira (11/2) que vai soltar para usuários do Windows 7 uma atualização que detecta cópias ilegais instaladas usando mais de 70 diferentes programas.

A atualização para o Windows Activate Technologies (WAT), software anti-pirataria anteriormente conhecido como Windows Genuine Advantage (WGA), será colocado no site de downloads da Microsoft no próximo dia 17 de fevereiro como uma atualização opcional categorizada como “importante”.

>> Microsoft tira do ar correção que gera tela azul da morte no Windows XP

As versões Home Premium, Professional, Ultimate e Enterprise do sistema operacional ganharão a atualização. “Gostaria de lembrar que a atualização é voluntária, o que significa que você pode escolher se instala ou não quando aparecer a janela do Windows Update”, disse o gerente do grupo de ativação da Microsoft, Joe Williams, em um post no blog Genuine Windows.

Trata-se de uma prática bem diferente da que a empresa adotou em 2006, quando a Microsoft forçou usários do Windows XP a atualizarem o WGA com uma atualização de alta prioridade. Muitos usuários processaram a empresa pelo comportamento, abandonado logo depois.

De acordo com Williams, a atualização do WAT detecta mais de 70 “exploradores de ativação”, termo da Microsoft para o que os usuários denominam “crack”,  processo de roubar chaves para ativar ilegalmente cópias do Windows 7.  Após a atualização estar instalada, PCs rodando cópias ilegais começarão a mostrar um fundo preto. “Máquinas rodando versões legítimas do Windows 7 não verão nada”, disse Williams.

Para o mercado chinês, a Microsoft vai atrasar o lançamento da atualização. A empresa fará uma campanha publicitária explicando os riscos de usar produtos piratas no país antes de liberar a atualização. Cópias piratas do sistema operacional estavam disponíveis online e vendidas em barracas de eletrônicos em Beijing desde semanas antes do lançamento oficial do Windows 7.

 

 

Tags:

Parceiros e Homologados | Windows e Utilitários | Materias

Microsoft tira do ar atualização que causa tela azul da morte no XP

by Fabio 5. abril 2010 23:55

A empresa afirmou que já investiga o problema. Análise inicial indica que a falha está na correção MS10-015.

 

telaazul_caveira_150.jpg     A Microsoft anunciou na tarde da quinta-feira (11/2) que cortou pela metade a distribuição das atualizações para o Windows XP que estavam relacionadas aos problemas recentes dos usuários com a famosa tela azul da morte.

De acordo com usuários que postaram reclamações no fórum de suporte da Microsoft, depois de instalar a atualização lançada no Patch Tuesday da terça-feira (13/2), as máquinas começaram a travar durante a inicialização do sistema.

“Paramos de oferecer a atualização por meio do Windows Update assim que descobrimos os problemas com a reinicialização”, afirmou o administrador de sênior do Centro de Respostas de Segurança da Microsoft (MSRC, em inglês), Jerry Bryant.

De acordo com Bryant, Microsoft já está investigando o problema. “Nossa análise inicial sugere que o erro ocorre depois de instalar a correção MS10-015 (KB977165), mas ainda não confirmamos se a falha é específica deste item ou se é um problema de interoperabilidade com algum componente ou software de terceiros.

>> Atualização do WAT pode bloquer uso de cópia pirata do Windows 7  

Bryant também menosprezou o caso da tela azul, dizendo que apenas um “número limitado” de usuários foi afetado.

O tópico de suporte, no entanto, cresceu bastante na quinta-feira. No final do dia, a página já tinha mais de 250 mensagens – o dobro do que tinha 12 horas antes – e mais de 55 mil acessos.

Apesar das reclamações, Bryant motivou os usuários a aplicar as outras atualizações lançadas na terça-feira e indicou um método alternativo para proteger os computadores da antiga MS10-01, com o desligamento do subsistema NT Virtual DOS Mode (NTVDM).

A Microsoft não ofereceu nenhuma ajuda aos usuários cujos sistemas foram danificados e Bryant também não deu uma previsão de quando a companhia terminaria a investigação. A única solução, que foi publicada por um usuário no tópico de suporte, é inútil para usuários de computadores portáteis sem drives de CD ou DVD, como netbooks.

 

fonte:http://pcworld.uol.com.br

 

 

Tags:

Novidades Tecnológicas | Windows e Utilitários | Materias

O que fazer em caso de perda ou roubo de seu smartphone ou notebook

by Fabio 5. abril 2010 23:49

Veja como melhorar suas chances de recuperar o que foi extraviado e assegurar que suas informações não desapareçam com eles.

 

perda_gadgets-150.jpgDiz o ditado popular que não damos o devido valor às coisas que temos, até o momento em que as perdemos. E esse ditado serve bem aos nossos smartphones e notebooks.

Imagine que alguém tenha perdido o smartphone em um aeroporto, local de grande movimentação de pessoas e, sabemos bem, muitas mal intencionadas. Imagine também, dentro do equipamento perdito há uma quantidade enorme de informações importantes.

Sem nenhuma senha para bloquear o uso do equipamento, quem o encontrasse teria acesso aos contatos, dados bancários, todo o histórico de e-mail e, quem sabe, acesso a contas do Facebook e Twitter. De uma hora para outra, toda a vida do nosso personagem está aberta a quem encontre o smartphone, bem como a vida das pessoas que estão em suas redes sociais, como os membros de sua família.

Pense no trabalho que dá cancelar contas online, alterar senhas de cartões e sites, e o aborrecimento e perda de tempo para recuperar tudo novamente.

Agora pare de imaginar e saiba que isso aconteceu com o autor dessa matéria. Felizmente eu estava com sorte. Quando consegui controlar meu desespero e abri meu notebook para me conectar e começar a tarefa chata de cancelar minhas contas nas instituições e sites, um bom samaritano apareceu e me devolveu o aparelho. Disse que viu o smartphone cair de minha pasta. Tudo estava a salvo, mas só porque tive muita sorte.

Portanto, a partir desse dia, prometi que isso não se repetiria novamente. E descrevo aqui algumas dicas, procedimentos, softwares e serviços para aumentar a segurança. São formas de agir que minimizam o risco de perder um gadget importante, maneiras de tentar recuperá-lo ou como não ficar propenso à exposição de dados pessoais e outras informações sensíveis mesmo que não encontre mais o equipamentos.

O que fazer no caso de perda
O melhor momento para se preocupar com a segurança é agora, antes que seu telefone desapareça. Algumas precauções ajudam a recuperar seu telefone e ainda protegem seus dados.

Perder um smartphone envolve três chateações distintas: o valor do próprio aparelho, as informações inseridas nele e a segurança adotada para limitar o acesso aos dados que estão contidos nele.

Para minimizar o impacto coletivo dessas perdas devemos abordar cada uma delas separadamente. Em primeiro lugar, tomar uma medida para reembolsar o valor do seu aparelho, fazendo um seguro. Muitas operadoras de serviços móveis de telefonia oferecem o seguro no momento da compra e há ainda seguradoras especializadas neste tipo de cobertura. O valor de prêmio (aquilo que se paga pelo seguro) não é alto se comparado ao valor do aparelho,

Em segundo lugar, manter um backup dos dados do smartphone em um local seguro e SEMPRE atualizado.

E em terceiro lugar, certificar-se de que ninguém mais conseguirá acessar os dados no caso da perda do telefone.

Bloqueie seu smartphone
Antes de consideramos dicas para não perder o telefone, vamos focar no básico: a definição de uma senha. A maioria dos celulares existentes no mundo, smartphones top de linha ou não, possui algum tipo de proteção.

Mas é fato também que a maioria das pessoas não utiliza a senha porque isso adiciona alguns segundos para começar a usar o telefone. E além disso, não querem mais uma senha para ficar lembrando.

Bom, baseado na história do começo desse texto, é melhor definir uma senha para não ter nossas contas de redes sociais invadidas, nossas senhas descobertas e até mesmo impedir que o endereço de nossa residência caia em mãos erradas.

Para quem tem um celular com sistema Android, por exemplo, é possível usar um sistema por desenho, mais fácil do que decorar números. Isso pode ser conseguido no menu Configuração; Tela e segurança; Bloqueio de segurança; Tipo de bloqueio de segurança; e Por desenho. Claro que você pode usar a boa e velha senha numérica, mas o recurso é bacana. 

 android-senha.jpg

Tela do Android para inserir senha por desenho

Maneiras para recuperar seu smartphone
Normalmente, a perda de um celular é um problema de curto prazo (quando em dúvida, procure no vão do acento do carro ou do sofá, ou mesmo embaixo da poltrona do avião). Mas mesmo que o aparelho tenha sido roubado, ainda será possível recuperá-lo, ao menos o seu valor em dinheiro.

O primeiro passo é fazer um seguro. Com ele, todos os dados do aparelho estão seguros, inclusive o código IMEI, que fica dentro do aparelho. Com esse código em mãos, a operadora consegue bloquear não apenas o chip, mas também todas as funções do celular. Ele fica literalmente inutilizado. E, caso consiga recuperá-lo, é possível ativá-lo novamente.

Se você esqueceu o smartphone em uma mesa de bar, por exemplo, e acha que ele está por perto, existem ferramentas gratuitas e pagas para encontrar o aparelho. Esses aplicativos são projetados para substituir as configurações do telefone de modo que ele sempre toque no máximo volume, em várias situações.

A ação acontece quando o telefone for desligado, ou quando fizerem uma chamada ou qualquer outra ação no aparelho.

Para os usuários do Android, o gratuito Where’s My Droid é uma ótima escolha. Uma frase é cadastrada no aplicativo e, ao perder o telefone, basta pedir a um amigo para enviar a frase por SMS. O telefone ficará tocando no volume máximo por um período de tempo que também foi ajustado pelo usuário.

wheresmydroid.jpg

Where's My Droid: ajuda a encontrar
aparelhos com sistema Android

Quem possui um Blackberry pode usar o Where’s My Phone, disponível a partir da loja Blackberry App World Store. Este programa possui uma versão paga, que é mais completa. Na versão gratuita é possível acionar um alarme via e-mail. A versão paga custa 4 dólares e inclui localização via GPS.

wheresmyphone.jpg

Where's My Phone: para Blackberry

O proprietário de iPhone pode usar um aplicativo de 99 centavos de dólar, chamado Beep My Cell. As funções são semelhantes aos programas para Blackberry e Android, com a adição de que é possível enviar uma mensagem personalizada que será exibida de tempo em tempo para quem encontrou o aparelho.

Há também o aplicativo PhoneFinder With Google Maps, para quem possui smartphone com Windows Mobile. O aplicativo de 1,50 dólar aciona o som do telefone e transmite a localização via GPS para o aparelho que enviou o SMS.

Criar um backup dos dados
Quanto mais tempo o smartphone tem de uso, maior será a quantidade de dados gravada nele. Portanto, faz sentido ter um plano de backup para o aparelho.

A maneira mais fácil de realizar um backup é usando uma conexão por cabo em seu PC. A maioria dos smartphones vêm com utilitários  de sincronização que visam criar um backup completo do conteúdo do telefone.

Graças a esses programas, se você sincronizar seu telefone regularmente, em caso de perda do equipamento, todos os arquivos, contatos, mensagens e fotos que estavam guardados neles também estarão disponíveis em seu computador. Por isso, faça o backup religiosamente.

Infelizmente, nem todos os smartphones possuem um software que incentiva a fazer backups. De todas as plataformas, os que usam Android são os piores porque tendem a ter um comportamento semelhante ao dos computadores.

Embora o Android tenha sido desenvolvido para funcionar perfeitamente na nuvem, baseado em aplicativos como Gmail, Google Calendar e Reader que sincronizam automaticamente seus dados para a web, a maioria dos dados pessoais armazenados no aparelho não serão sincronizados.

Felizmente, há uma série de aplicativos de backup disponíveis para o sistema operacional móvel do Google. Um dos nossos favoritos é o MyBackup Pro que, infelizmente, não é gratuito. Mas por apenas cinco dólares ele sincroniza todos os seus contatos, aplicativos, favoritos, mensagens SMS, fotos e listas de música para um servidor seguro. Se o telefone for perdido ou danificado, é possível transferir todos os dados para outro smartphone com Android.

mybackuppro.jpg

MyBackup Pro: ferramenta para backup completo
e organizado para smartphones com Android

Medidas avançadas de segurança
Um smartphone perdido dentro de casa ou na casa de um amigo e até mesmo no escritório logo será encontrado. Mas se você deixar o seu telefone em um táxi ou qualquer outro local público,  provavelmente você vai precisar de recursos mais avançados de recuperação e proteção dos dados.

Para o bem dos usuários, alguns dos softwares e serviços disponíveis que cobrem as principais plataformas de smartphones. Eles não são gratuitos, mas se os seus dados são importantes para você, vale a pena pagar por eles.

Uma das melhores opções é o WaveSecure. Desenvolvido pela TenCube, o software está disponível para Android, BlackBerry, Symbian S60, e Windows Mobile e é composto por um pacote completo de proteção, principalmente para aqueles usuários propensos a esquecerem smartphones e celulares em locais públicos.

Por 20 dólares ao ano, o WaveSecure permite rastrear a localização do seu telefone, acompanhar o registo de chamadas e detectar se alguém alterou o seu cartão SIM, tudo através de um navegador da web. No caso em que o telefone for perdido ou roubado, você terá rapidamente uma ideia muito clara do local onde ele está e o que está sendo feito com ele. 

wavesecure.jpg

WaveSecure: proteção para a maioria
dos sistemas de smartphones

O WaveSecure inclui recurso backup remoto do conteúdo do aparelho para o servidor e, depois, apagar todos os dados que estão no dispositivo. Assim, mesmo que o aparelho caia nas mãos de um ladrão, nenhuma das informações que estão nele estarão em risco.

Depois de apagar os dados, você tem opções de fornecer os dados de localização à polícia, com a esperança de obter o telefone de volta, ou utilizar o seguro para comprar outro aparelho. E assim basta baixar o backup de seus dados para o novo dispositivo.

A Apple oferece um serviço de monitoramento semelhante, chamado Find My iPhone, e disponível para o smartphone da marca. Porém, o aplicativo só funciona em conjunto com outro serviço da Apple que precisa ser contratado, o MobileMe, e que custa 99 dólares por ano.

Apesar de ser um serviço mais caro, a interface do Find My iPhone é fácil de usar e funciona muito bem. Como WaveSecure, ele permite que você acompanhe o paradeiro do seu celular e envia uma mensagem personalizada para a pessoa que encontrou seu iPhone.

findmyiphone-450.jpg
Find My iPhone: sistema para encontrar o iPhone que foi perdido ou roubado

A ferramenta possibilita apagar o conteúdo do telefone remotamente e bloquear o aparelho com um código (no caso em que você não tenha definido um antes de perder o dispositivo).

Usuários  do Palm Pre podem obter proteção semelhante ao se inscrever no Where Is My Pre. A versão premium deste serviço, que custa dois dólares por mês, permite visualizar a localização do seu telefone em um mapa, enviar mensagens para o dispositivo, modificar as preferências do celular remotamente, e até tirar fotos com a webcam do telefone remotamente para tentar ver a pessoa que está com ele.

Proteja também o laptop contra perda ou roubo
Da mesma forma que perder o smartphone é ruim, perder o notebook pode causar um estrago ainda maior caso este seja um equipamento de uso profissional. Vamos explicar como melhorar suas chances de conseguir o seu laptop de volta se for perdido ou roubado, e compartilhar algumas dicas para proteger seus dados pessoais e de negócios.

Guarde seus bens: um notebook barato pode custar até menos do que um iPhone (1.700 reais já seria mais barato que um iPhone sem plano de dados ou vínculo com uma operadora), mas muitos usuários corporativos e gamers podem ter máquinas que ultrapassam facilmente a cada dos 4 mil reais.

Independentemente de quanto dinheiro você gastou em seu laptop, é aconselhável manter a nota fiscal de compra, tirar uma foto do equipamento e, claro, contratar um seguro - com isso, caso ele seja perdido ou roubado, você estará livre do rombo eu seu bolso.

Backup frequente: Se você não faz backup de seus dados com a frequência que deveria, não se culpe, apenas comece a fazê-lo a partir de agora e defina uma rotina que inclua a realização desta tarefa com a frequencia que seus dados exigem, mas que seja no mínimo uma vez por semana. Usar o próprio backup do Windows ou um utilitário semelhante ajuda muito, pois é algo que se pode agendar e que tira de você a responsabilidade de executar isso manualmente. Fazer um backup completo em drives externos, em intervalos de tempos maiores (mensalmente) também é interessante.

Backup redundante: Além de do hábito de manter um backup do sistema em um drive externo, é sábio fazer backup de seus dados mais importantes para um serviço baseado em nuvem, como o Mozy. Desta forma, se uma catástrofe atinge a sua casa ou seu escritório (onde a cópia de segurança primária está guardada), você ainda terá todas as suas informações guardadas em um local separado e seguro.

Instalar um aplicativo de recuperação e se inscrever em um serviço de monitoramento
É possível tentar recuperar um notebook roubado se você executar um aplicativo de monitoramento e recuperação, como zTrace ou LoJack. Por cerca 60 dólares anuais esses aplicativos ficam escondidos no BIOS do seu portátil e, periodicamente, se conecta à internet e comunica a localização. Se o seu laptop desaparece, basta contatar a empresa para ativar rastreamento. Serviços de recuperação irão responder a um sinal do seu laptop que obt[em sua localizaçãocom base no endereço IP do local em que foi conectado.

No Brasil, tais ferramentas têm uso limitado, mas há pelo menos uma empresa que oferece este tipo de proteção, a NotePolice que comercializa o software Notebook Guardian. Caso o notebook seja roubado, basta o usuário enviar uma cópia do boletim de ocorrência à NotePolice para que ele se torne responsável por obter ordem judicial e checar os dados da pessoa e do endereço onde estiver a máquina roubada. Como nos serviços mencionados anteriormente, a detecção é feita assim que o portátil for conectado à internet e a partir do endereço IP.

O custo do serviço é de 90 reais por ano e abrange todo o território nacional. Caso o equipamento não seja recuperado em até 60 dias, o valor pago pelo cliente é devolvido, segundo a própria empresa.

Quatro hábitos que ajudam a evitar a perda de seus equipamentos
Perder as coisas é algo fácil de acontecer. Mas trazê-las de volta pode ser bem difícil. Aqui estão quatro hábitos simples que podem ajudá-lo a evitar perdas e melhorar suas chances de conseguir seus gadgets de volta.

1 . Mantenha os recibos: Sempre que você pegar um táxi, comer em um restaurante, ou pegar uma xícara de café em local público, peça recibo e guarde por uns dois dias. Dessa forma, quando você sentir a falta de um objeto, será mais fácil lembrar onde foi que você perdeu. Recibos quase sempre trazem informações importantes, como o nome da pessoa que lhe atendeu e essa pessoa pode lembrar de você e de seu item perdido.

2. Etiquete tudo: usar etiquetas adesivas com informações de endereço podem ajudá-lo bastante a recuperar o item perdido. Claro que você deve contar com a sorte também de seu equipamento ter sido encontrado por uma pessoa honesta. E o ideal, até por questões de segurança, é colocar o endereço do seu trabalho, afinal você não quer o ladrão, que já subtratiu seu equipamento, saiba onde é que você mora, não é?

etiqueta.jpg

ilustração: Edwin Fotheringham

3. Organizar ajuda: Se você mantém guardada cada peça no mesmo lugar, você está mais apto a perceber quando algo não está onde deveria estar. Por exemplo, se você coloca o telefone no bolso interno do casaco, você terá uma chance grande de não esquecer o aparelho em um restaurante. Adquira o hábito de saber em quais bolsos você deixa seus itens essenciais, como chave do carro, celular e carteira. Assim é menos provável que deixe algo para trás.

4. Seguro morreu de velho: A tecnologia é cara e hoje pode-se contratar um seguro contra perda, roubo e até danos de praticamente qualquer parafernália tecnológica. Mas reaver 100% do valor do equipamento nem sempre é algo garantido. E como pode levar tempo até você dar conta de que algo está faltando, as dicas a seguir irão ajudar você a agir mais rapidamente na hora de contatar seu corretor e acionar o seguro.

Primeiro, mantenha guardados (e lembre-se onde os colocou!) todos os recibos de seus gadgets que foram segurados. Caso já não estejam lá, anote em cada recibo o número de série dos equipamentos a que se referem.

seguro.jpg

ilustração: Edwin Fotheringham

Para uma indústria que trabalha com imprevistos, as companhias de seguro odeiam surpresas. Então ligue para seu corretor sempre que achar necessário adicionar alguma informação sobre seus itens segurados. Valores pagos, modelos, números de série, até mesmo peso e dimensões podem ajudar na hora de reaver o valor integral do equipamento, caso venha a ser roubado, perdido ou sofrer um dano irreversível.

Por último, lembre-se de fazer o boletim de ocorrência assim que o dispositivo for roubado. Não perca tempo para fazer isso, pois a seguradora pode ficar questionando por semanas e até meses, caso encontre algum argumento para não pagar o seguro. Assim você evita essa dor de cabeça e também não fica semanas sem o seu smartphone ou notebook, que podem ser ferramentas essenciais para seu trabalho.

Fonte.:http://pcworld.uol.com.br/

 

Tags:

Novidades Tecnológicas | Materias

Como prolongar a vida útil da bateria do notebook

by Fabio 5. abril 2010 23:47

Eis um componente que não foi feito para durar a vida toda; entretanto, é possível explorar seus recursos um pouco mais.

 

carga_bateria_150   As baterias de laptops são como pessoas: algum dia vão morrer, inevitavelmente. Diferentemente dos processadores, as baterias não obedecem a uma 'lei de Moore', ou seja, não espere que as baterias lançadas no próximo ano sejam menores do que as atuais e que tenham ainda mais capacidade de carga, pelo menos até descobrirem outros componentes para substituir o lítio, elemento químico básico usado nas bateriais atuais.

Mas se você cuidar bem dela, é possível adiar o inevitável. Abaixo, listamos proccedimentos que vão ajudar a manter a capacidade de carga da bateria do portátil por mais tempo. Com sorte, o componente irá durar até o momento em que você decida substituir o notebook.

Mostramos também como manter a energia por mais tempo entre as recargas, de modo a permitir que se possa ficar mais preciosos minutos afastado de uma tomada elétrica. E quem precisa de mobilidade sabe como isto é importante.

Não use o notebook até a bateria se esgotar
Extrair até o último elétron da bateria vai diminuir o tempo de vida útil da mesma. Fazer isso uma ou duas vezes não causará danos, mas o efeito acumulativo acaba por encurtar a vida do componente. Há uma exceção a essa regra, em uma circunstância em que é recomendado descarregar a bateria totalmente. Mas falaremos sobre isso mais à frente.

A boa notícia é que os notebooks mais atuais são projetados para desligar antes da bateria se esgotar completamente. O Windows 7 e o Vista já possuem configuração para esta finalidade. Para chegar até ela, clique em Iniciar, digite energia, tecle Enter e escolha o item Opções de energia.

Em seguida, escolha um dos dois planos que aparecem (Equilibrado e Economia de energia) - a escolha não faz diferença, pois vamos personalizar o modo de como o notebook vai consumir energia. Selecione a opção Alterar Configurações do Plano. Isso resulta em outra janela, com mais opções. Escolha o item Alterar configurações avançadas de energia.

Na janela aberta, role a página até o item Bateria e clique no sinal de (+) para expandir mais opções. Escolha Nível de bateria crítica. Sugerimos preencher o campo com o valor 5%.

bateria.jpg

Mito: a bateria nunca deve ser recarregada totalmente.
Há controvérsias sobre essa afirmação. Em pesquisas para fazer esse artigo, conversamos com alguns especialistas e alguns são a favor e outros são contra. No entanto, não encontramos nada que afirmasse que isso fosse verdade. O melhor é sair de casa com a bateria totalmente carregada e ficar tranquilo de que ela vai durar mais tempo longe de uma tomada.

Mantenha o notebook longe do calor
A via útil da bateria pode ser reduzida por causa de calor excessivo. Certifique-se de que as saídas de ar do notebook (geralmente ficam em uma das laterais) não estão bloqueadas. A parte de baixo do portátil também possui ranhuras para circulação de ar. Portanto não é recomendado trabalhar com o laptop em cima de almofadas ou travesseiros. Caso queira fazer isso, melhor colocar sobre a almofada uma base sólida, como se fosse o tampo de uma pequena mesa.

É possível limpar essas ranhuras sem abri o notebook, usando uma lata de spray de ar comprimido ou mesmo mini aspiradores, ambos encontrados em lojas especializadas. Faça isso com o portátil desligado.

Dê um descanso para a bateria
Se você trabalha frequentemente com o notebook ligado a tomada (a partir de uma semana), retire a bateria do laptop. Caso contrário, a bateria entrará em um processo rápido de desgaste, pois assim que ela descarrega um pouco, já é recarregada novamente. Isso também o evita o desgaste por aquecimento, como já vimos acima.

Também não é recomendado retirar a bateria enquanto o notebook estiver ligado, nem mesmo quando ele estiver no modo de espera. Isso pode travar o sistema e seu trabalho será perdido. E pode acontecer o pior, que é danificar o hardware.

Inserir a bateria com o notebook ligado é outra ação que não deve ser feita. As únicas situações em que a bateria deve ser retirada ou recolocada é quando o notebook estiver desligado (e como o cabo de força desconectado da tomada) ou no modo de hibernação.

Mito: é recomendado manter a bateria refrigerada
Provavelmente você já ouviu falar algo sobre estender a vida de uma bateria guardando ela por um tempo na geladeira. Saiba que a última coisa que queremos em uma bateria e vê-la molhada. Mesmo que ela seja acondicionada em um saco plástico, a condensação pode estragar a bateria, pois o ar gelado infiltra-se no invólucro e deixa as baterias úmidas.

O melhor a fazer é guardá-la em local seco e à temperatura ambiente, longe de fontes de calor. E se o notebook for usado constantemente na tomada, é recomendado recolocar a bateria nele para uso pelo menos uma vez a cada dois meses.

Faça uma carga, use até o sistema operacional desligar o notebook, recarregue e, então, pode guardá-la novamente. A bateria sem uso perde suas propriedades químicas e isso também diminui sua vida útil.

Mito: é possível ‘dar vida nova’ a uma bateria desgastada
Realmente não há como fazer com que o elemento químico lítio consiga segurar mais elétrons do que atualmente pode gerenciar. Se a bateria está se esgotando rapidamente ou o notebook está com problemas para medir a quantidade de energia restante, o que se pode fazer é instalar qualquer software externo que faça uma medição mais precisa. Mas saiba que isso só permite saber quanto tempo de carga restante o portátil tem; não há qualquer software que seja capaz de recuperar a saúde da bateria desgastada pelo tempo.

Se constatar que a bateria não consegue mais segurar a carga, tente usar o recurso de descarregá-la totalmente. Aliás, esta é a única exceção à regra de não descarregar a bateria até o fim, explicada no início deste texto. Sugerimos que faça isso - descarregá-la e carregá-la totalmente - duas vezes.

Como o sistema operacional foi configurado para não deixar a bateria se esgotar totalmente (ela sempre terá por volta de 5% da carga), você terá fazer o seguinte:

Deixe o sistema ligado, sem proteção de tela e sem desligamento automático. Quando a bateria chegar ao nível de 5%, o Windows irá desligar o notebook. Para consumir o que sobrou de energia, ligue o portátil e entre no sistema de configuração de hardware (BIOS). Dessa forma o laptop ficará ligado até drenar toda a energia da bateria - como o sistema operacional não foi carregado ainda, a bateria continuará a ser drenada, até que a carga se esgote totalmente.

Para acessar o BIOS, cada notebook possui uma tecla diferente. Ao ligar o equipamento, é necessário pressionar uma tecla. Alguns fabricantes optam pela tecla DEL, outros pela tecla de função F2. Apesar de serem as teclas mais comuns para acessar o BIOS, alguns fabricantes podem escolher outras teclas de função. O manual do equipamento sempre indica qual é essa tecla.

Depois de entrar no sistema e configuração do notebook, basta deixá-lo ligado. Como não há nenhum controle de energia nesse sistema, não é necessário ficar monitorando o portátil. Ele será desligado somente quando não houver mais energia qualquer carga na bateria.

A partir disso, deixe a bateria carregando, mas sem ligar o notebook. Repita todo o processo mais uma vez. Com isso, é possível que a bateria tenha mais um sopro de vida até ser substituída por uma nova ou até você decidir qual modelo novo de notebook comprar.

Vida mais longa entre as recargas
As dicas acima servem para aumentar o tempo de vida da bateria até que ela seja substituída por uma nova. Mas na rotina diária, estamos mais preocupados em quanto tempo podemos manter nosso notebook funcionando longe da tomada. Algumas das dicas a seguir podem ser básicas, mas é sempre bom lembrar de todas elas.

Regular o brilho da tela
A iluminação do display LCD consome boa parte da energia fornecida pela bateria. Regule o brilho para o nível mais baixo possível, mas que fique confortável para seus olhos.

Desligue dispositivos que não esteja usando
O primeiro item a ser desligado é o Bluetooth, pois não ficamos utilizando o tempo todo. Se não estiver usando uma rede sem fio, desligue também o sinal do Wi-Fi. Se possível, não use mouse externo e nem o sistema de som. 

Evite a multitarefa
Se possível, não deixe muitos programas abertos simultaneamente. Quanto mais aplicativos abertos houver, mas necessidade de acesso ao HD para guardar informações de trabalho e mais a bateria será utilizada. Se você está concentrado em uma planilha de cálculo, só deixe aberto o navegador ou o processador de textos, caso precise fazer alguma pesquisa. Sugerimos não desabilitar o antivírus ou firewall, a não ser que esteja desconectado da rede e da interent - e LEMBRE-SE de executá-los novamente ANTES de tais conexões serem efetuadas.

Modo de espera e o modo hibernar
Se tudo que se quer é economizar energia, é preciso entender qual método é melhor para usar quando o laptop não estiver sendo utilizado.

O modo de espera (também conhecido como 'dormir') no Windows 7, Vista e XP mantém seu notebook ligado, mas consumindo muito menos energia do que se estivesse em atividade. Mas o fato é que ele continua ligado e consumindo um mínimo de energia.

hibsusp.jpg

Já o modo hibernar salva todo o ambiente (inclusive as aplicações abertas) no disco rígido e logo depois disso desliga completamente o portátil, cortando a energia por completo. Por outro lado, o Windows leva mais tempo para entrar e sair da hibernação. Alguns casos passam de um minuto.

A regra aqui se baseia no tempo em que o notebook vai ficar sem atividade. Se esse tempo passar de meia hora, o melhor método a escolher é o de hibernar.

Último mito: adicionar memória RAM ajuda a aumentar o tempo de energia fornecida
É verdade que a maior quantidade de memória ajuda o sistema a usar menos o disco rígido como sistema auxiliar. E o disco rígido consome mais eletricidade do que a memória.

No entanto, o disco rígido sempre será utilizado e mais memória não reduzirá a quantidade de energia de modo significativo, já que mais memória também vai consumir mais eletricidade.

Tags:

Novidades Tecnológicas | Materias

Acesse pastas e arquivos preferidos com apenas dois cliques no mouse

by Fabio 5. abril 2010 23:45
Descubra novas formas de manipular seus dados no Windows 7; de quebra, ganhe agilidade e eficiência no acesso a eles.

 

Mais interessante do que instalar a última versão de um sistema operacional, como o Windows 7, é aproveitar todos os seus recursos. Por exemplo, o ícone do Windows Explorer fixado na barra de tarefas é muito útil, pois, com apenas um clique, temos acesso às pastas de documentos, vídeos ou qualquer outra que desejamos.

Mas esse ícone tem outros truques na manga. Ao clicar com o botão direito no ícone do Windows Explorer, um menu pop-up é aberto, exibindo uma lista das pastas e arquivos que são acessados com maior frequência.

Ao clicar com o botão esquerdo em qualquer dos itens, a pasta ou arquivo já é acessado diretamente. Isso é muito mais rápido do que outras formas de encontrar as pastas que mais acessamos.

win_explorer-dica.jpg 

Outra dica é fazer com que qualquer item dessa lista seja exibido de forma permanente. A operação é muito simples: na lista, escolha a pasta ou arquivo de sua preferência e, sem clicar, apenas deixe a seta do mouse sobre ele.

Agora, à direita desse item, aparece o desenho de um alfinete; clique nele e pronto. O item estará sempre disponível nessa lista. Se a pasta Documentos é muito acessada, por exemplo, é uma boa ideia deixá-la fixa nessa lista. E é possível remover qualquer item da lista simplesmente clicando novamente no ícone do alfinete.

Tenha em mente que essas operações não alteram em nada a localização de seus arquivos ou pastas. São apenas atalhos para suas pastas e arquivos favoritos serem acessados de forma mais rápida e fácil.

 

Tags:

Novidades Tecnológicas | Materias

Sete em cada dez empresas planejam migrar para o Windows 7

by Fabio 5. abril 2010 23:42

Levantamento feito com 285 profissionais de TI nos EUA procurou medir atitudes e intenções em relação ao sistema operacional.

O chefe de infraestrutura da Pella Corp., Jim Thomas, afirma que sua equipe de TI começou a fase de testes do Windows 7 em 2009, como caminho para atualizar o Windows XP. Em outubro, dois meses depois do lançamento do sistema operacional, a fabricante japonesa de janelas já tinha 225 clientes ativos e o feedback da equipe de TI e dos usuários foi positivo em geral.

Pella está pronta para dar um passo a frente, afirma Thomas. “Teremos 50% dos nossos usuários – 2.500 máquinas – com o Windows 7 em 2010.” Até o final do ano, ele espera ter 90% da empresa utilizando o novo sistema operacional.

Desta vez, de acordo com as organizações de TI, parece que a Microsoft finalmente acertou. E bem na hora. Cerca de 80% das organizações de TI não adotaram o Windows Vista, segundo o Gartner. Ao invés disso, a grande maioria das empresas manteve o Windows XP, um sistema desatualizado com oito anos e meio de idade.

Computerworld (EUA) entrevistou 285 profissionais de TI para medir suas atitudes e intenções em relação ao Windows 7. Em geral, 72% afirmaram que planejam migrar para o Windows 7, dos quais 70% disseram que vão integrar o sistema em um ano ou já estão instalando.

O motivo principal para atualizar: para se livrar da antiga plataforma Windows XP. No entanto, quase 40% dos entrevistados disseram que vão ficar com o Windows XP até o fim do suporte – abril de 2014 – antes de instalar o Windows 7 em todas as máquinas voltadas ao Windows.

Qual versão do Windows está sendo utilizada nas operações de TI?

Windows XP - 93%
Windows Vista - 35%
Windows 2000 - 15%
Windows 98 - 3%
Windows 95 - 2%
Fonte: Computerworld/EUA (205 entrevistados)

Mas os que querem esperar estão em menor número. “Estamos prontos para seguir”, afirma o diretor de um escritório da consultoria Milliman, Paul Shane. Ele evitou o Vista, dizendo que o sistema era inicialmente problemático e com falhas, e continua sofrendo de baixo desempenho. Mas ele espera ter a maioria dos seus 150 desktops e laptops será atualizada para o Windows 7 até o final do ano. Decepcionado com o Vista, Shane considerou brevemente a plataformas Mac OS X. Agora, ele diz, “deixamos essas de lado”.

Fonte: http://www.bizrevolution.com.br/

 

Tags:

Novidades Tecnológicas | Materias

Powered by BlogEngine.NET 1.5.0.7
Theme by Mads Kristensen

Fabio Cimino

Analista Programador .Net

                       A mais de uma década na Ciminos Solution como coordenador de projetos da Fábrica de Software.

cimino@ciminos.com.br